Como evitar fissuras nos nossos tratamentos de canais?
Ana Arias
A literatura científica demonstrou amplamente que a causa mais comum de extração dentária é a fratura dos dentes, situação que afeta especialmente os dentes endodonciados. Vivemos na era da odontologia minimamente invasiva, conceito que deve incluir também a endodontia. Idealmente, todos os especialistas orientados para a conservação de dentes devem escolher filosofias e tecnologia que permitam respeitar a maior quantidade de tecido dentário saudável e substituir o que é perdido por materiais de comportamento semelhante à dentina, para manter a máxima resistência do dente com o problema. Mas isto não é suficiente. Com o aumento da esperança de vida dos nossos pacientes e o auge dos implantes, temos uma responsabilidade ainda maior e devemos colocar mais ênfase na determinação do prognóstico do dente a longo prazo; concentrando-se não apenas nas possibilidades de sucesso do tratamento de canais, mas também na viabilidade do complexo considerando as características individuais de cada paciente. O objetivo desta conferência é abordar este tema combinando a apresentação de casos clínicos com as evidências científicas disponíveis.