Últimos avanços na integração de protocolos digitais: Digitalizações faciais e sistemas de registo de movimentos mandibulares
Guillermo Pradíes
O termo “integração” transformou-se na palavra-chave dos protocolos digitais. A possibilidade de associação de diferentes tipos de recursos, como os arquivos radiológicos, os de fotografia, os de vídeo, os provenientes dos scanners intra e extraoral, etc. constitui a base para chegar ao considerado “paciente virtual”. Os scanners faciais servem para estabelecer o marco estético em que se vai desenhar o sorriso do paciente, pelo que a sua utilidade é inquestionável. Até ao momento, a orientação da arcada numa posição correta e a sua integração nos softwares CAD têm sido os aspetos mais trabalhados para alcançar uma utilização correta dos mesmos. Por outro lado, os aparelhos destinados ao registo dos movimentos mandibulares constituem outro contributo importante para o paciente virtual, ao ter como objetivo a possibilidade de realizar restaurações que respeitem a biodinâmica mandibular do paciente. Durante a palestra, será revisto o estado atual, as vantagens, limitações, etc. correspondentes a estas duas importantes ferramentas digitais.