Diretrizes minuciosas para restaurações adesivas estéticas anteriores contemporâneas
Pascal Zyman

Diretrizes minuciosas para restaurações adesivas estéticas anteriores contemporâneas

Pascal Zyman

A odontologia de restauração é um procedimento minimamente invasivo. Durante muitas décadas, este lema foi uma meta particularmente exigente, mas pode ser alcançada de modo muito mais fácil hoje, devido a importantes melhorias na maioria dos materiais restauradores. Em caso de restauração por estratificação composta, iremos focar-nos numa rigorosa pesquisa de espectrometria que estuda os diferentes níveis de opacidades e translucidez das atuais marcas de composto. Através deste estudo e de uma classificação baseada na opacidade, iremos propor um protocolo apropriado que têm em conta a espessura das camadas e o valor final da restauração. No caso de folheamento indireto de cerâmica, é hoje inaceitável sacrificar um esmalte saudável para criar espaço para materiais restauradores artificias. As técnicas de ligação associadas a novas técnicas laboratoriais evoluíram de forma significativa, especialmente a capacidade da nova cerâmica em mascarar áreas escuras mesmo com uma pequena espessura. Iremos estudar, numa investigação em vidro, a ultraestrutura entre o esmalte e a cerâmica na área cervical menos retentora, e utilizar este estudo como base para decidir sobre o design das preparações em diferentes situações clínicas.